2010-05-24

mais psicologês

neste caso, político-psicologês!

Marcelo Rebelo de Sousa volta ao Ditos... para ser comentado!!

o grande comentador estava em casa a ler livros na diagonal quando foi chamado novamente à TV ... e ... correspondeu ao ansiado convite de Júlio Magalhães

em boa hora, pois os telespectadores estavam com sérias dúvidas quanto à qualificação da crise: seria uma crise financeira? política? económica? de emprego? estrutural? conjuntural? internacional? do euro? dos mercados? das exportações? do saldo da balança de transacções? do crédito fácil? (é verdade, caiu no esquecimento o problema do crédito mal parado, não foi? terá começado a andar? ou a desandar?) das empresas? da coligação negativa contra o governo minoritário? do futebol português? da nossa credibilidade na Europa? da credibilidade da Europa no mundo? da credibilidade do mundo? da globalização? do aquecimento global? do arrefecimento global? das alterações enigmáticas?

nã...

a crise, diz o professor a martelo, é psicológica!!!

jametinhasdito ó Marcelo, isto sim, são conversas em família...

de todo o modo, o Júlio Magalhães está de parabéns, sempre elevou o nível de audiências da TVI sem recorrer à baixaria Guedes/Moniz - o diabo escolheu pelo melhorzinho




observações são bem vindas ;->>>

4 comentários:

Ana disse...

Das raras vezes que ligo a televisão logo teve de me entrar casa dentro tal parecer, bem pago com certeza pela perturbação psicológica que se faz sentir em todo o país...

marta disse...

Apesar de só ter ouvido falar da baixaria, nunca tive paciência para a ir ver ou ouvir, também acho que do mal o menos.
Cá em casa há fãs do Marcelo, infelizmente
sorriso divertido

zeka disse...

Pois eu só reforçaria o qualificativo "menos mauzinho", sem dar importância à figura esquelética e desgastada (quase como a paciência da gente...).

Só me resta a 'velha' vingança.

Sofá Amarelo disse...

Eu acho que a crise é hormonal, mas pronto, esta é a minha opinião, tão falível como outra qualquer... hormonas de todo o mundo, uni-vos!E contribuide para que se façam mais bébés e assim se dê um novo impulso á economia: é que os maiores consumidores são os mais pequenos, os mais velhos passam com uma sopita à noite e o casaco de há 10 anos atrás ainda está aí para usar e abusar...