2010-05-04

Alegre bis




















mesmo quem não chegou a tempo de "ouver" o discurso directo de Alegre II na segunda candidatura às presidenciais pode pressentir que os vivas à República e a Portugal terão desta vez uma ressonância menos magnética do que a fulgurante caminhada contra tudo e contra todos em 2005

é certo que na campanha anterior conseguiu uma extraordinária dinâmica mobilizadora de cidadãos de várias sensibilidades que fez tremer estruturas partidárias e só a artificiosa divisão à esquerda garantiu, por um triz, a eleição do candidato da direita

no próximo sufrágio presidencial manter-se-á, muito previsivelmente, a jametinhasdita divisão à esquerda mas o pior adversário de Alegre - e do próprio processo eleitoral - será a inércia que até hoje sempre assegurou a reeleição do presidente em funções, aliás à semelhança do que generalizada e até compreensivelmente sucede por todo o mundo

inteligente e de apurada percepção, Alegre sabe à partida que a probabilidade da sua eleição é menor que anteriormente mas como lutador tenaz, resistente infatigável e poeta combativo irá disputar Belém com toda a convicção e seriedade que Portugal e o eleitorado lhe merecem

e terá porventura uma razão adicional: demonstrar à prova provada a hipocrisia, o cinismo e o engano com que o PS de Sócrates lhe roubou a vitória há 5 anos


observações são bem vindas ;->>>

3 comentários:

claras disse...

Não estou nada convencida que Alegre consiga demonstrar o roubo da vitória que o PS lhe provocou, que houve, bem entendido.
Não desta vez

Todos os que conheço, simpatizantes do PS, dizem que não votam Alegre e na blogosfera vêem-se muitas posições iguais.

Mesmo que o PS não arranje outro candidato, a esquerda já está dividida e Nobre tem grandes hipóteses de roubar muitos votos, mesmo na ala do PS

argumentonio disse...

Claras: o comentário que exprime está no essencial de acordo com o teor do post!

de reparar, porém, que o texto comentado não aposta na vitória de Alegre, bem pelo contrário... enunciando-se antes que a demonstração em apreço constitui mais uma fonte de motivação da sua candidatura!!

no entanto, a inexistência de um candidato do PS, 5 anos após tirar o tapete a Alegre, é um fortíssimo indício da aventada hipocrisia do PS de Sócrates, enredado e preso na sua falta de visão e até hoje sem ideias para um candidato oficial e consensual...

o que conduzirá à evidência de que então a estratégia era fazer eleger Cavaco, levando ao engano o número suficiente de eleitores para inviabilizar a vitória de Alegre por interposta instrumentalização de Mário Soares, como em breve será forçoso reconhecer!!!

Sofá Amarelo disse...

Não acredito que o PS apoie Alegre, já que este é apoiado desde a primeira hora - mesmo sem querer, se calhar - pelo BE. E Louçã tem intensificado as críticas a Sócrates...acho que o PS prepara uma surpresa que o Sofá tentará apurar em breve...