2010-03-09

ainda "ASAS"



Nós nascemos para ter asas, meus amigos.
Não se esqueçam de escrever por dentro do peito:
nós nascemos para ter asas.
No entanto, em épocas remotas, vieram com dedos pesados de ferrugem para gastar as nossas asas como se gastam tostões.
Cortaram-nos as asas para que fôssemos apenas operários obedientes, estudantes atenciosos, leitores ingénuos de notícias sensacionais, gente pouca, pouca e seca.
Apesar disso, sábios, estudiosos do arco-íris e de coisas transparentes, afirmam que as asas dos homens crescem mesmo depois de cortadas, e, novamente cortadas, de novo voltam a ser.
Aceitemos esta hipótese, apesar não termos dela qualquer confirmação prática.
Por hoje é tudo. Abram as janelas. Podem sair.





observações são bem vindas
;->>>

3 comentários:

marta disse...

Não consigo ler. O youtube tapa as palavras, mas deve ser do meu computador

Sofá Amarelo disse...

Abrir as janelas é o primeiro passo para a tal liberdade de expressão... abramo-las, então, escancaremo-las!!!

Epee disse...

vencendo o medo, a insegurança... e que caia... caindo... que saiba se levantar... e se levantando que não desista de voar... outra vez...








----@____